21 de ago de 2013

Ato de Solidariedade a Bruna lota Câmara de Vereadores de Canoas


Por Aline Costa - Jornalista

Cerca de cem pessoas lotaram a plenária da Câmara de Vereadores do município de Canoas/RS durante o ato público em solidariedade à jovem Bruna Frasson, 26 anos, que está presa injustamente em Barcelona – Espanha, desde o dia 23 de março. Ela é mais uma vítima do esquema mafioso dos Cruzeiros Marítimos que recrutam pessoas, geralmente mulheres jovens, para trabalharem em condições de semi-escravidão, humilhação, maus tratos e onde funciona um forte esquema de tráfico internacional de drogas.


Em apenas 6 meses trabalhando no navio italiano COSTA CRUCIERE, Bruna viu seus sonhos de juventude transformarem-se em pesadelo. A garota caiu na armadilha de um traficante que a enganou e que também foi preso, mas mesmo confessando diante do juiz que tinha posto a droga escondida na mochila da garota, ela não foi liberada pela justiça espanhola, nem terá direito a ser julgada individualmente, já que não teve culpa.
A jovem Bruna está sendo duplamente injustiçada, pois há fortes indícios de xenofobia no caso dela. Mesmo exercendo a sua formação em nutrição para trabalhar na cozinha da prisão, tendo bom comportamento, com uma família espanhola se dispondo a recebê-la em casa e com a atuação do Itamaraty para mediar sua situação, a justiça espanhola mantém a menina presa.

O esquema dos grandes cruzeiros, que não têm qualquer regulamentação ou fiscalização trabalhista, tal qual os maus tratos a brasileiros dados pelos europeus, também é um velho conhecido. Dentro das imensas e luxuosas embarcações onde a burguesia ostenta seu poderio econômico, também viajam trabalhadores e trabalhadoras que sofrem toda espécie de maus tratos. Algumas pessoas simplesmente desaparecem, como é o caso da Jovem Laís Santiago, 21 anos, tripulante do cruzeiro marítimo italiano Costa Mágica, que desapareceu no ano passado e até hoje não há notícias do corpo.

O fato é que as empresas detentoras das embarcações, as agências de viagens e os favoritismos prestados a grandes empresários, formam um esquema gigante que move a economia turística nos oceanos do planeta. Fruto do capitalismo selvagem que corrói a dignidade humana e explora os trabalhadores até não poder mais e depois os largam à margem dos injustos e preconceituosos julgamentos tão comumente praticados pelo império burguês europeu.

Nós do PSTU estamos totalmente solidários ao caso dessa jovem e junto com familiares e amigos exigimos que o governo brasileiro interceda pela garota para que ela possa voltar ao país e recomeçar a sua vida.
Liberdade para Bruna!!


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe sua opinião! O PSTU Gaúcho agradece sua participação.