12 de mar de 2014

Preconceito em Nova Prata: Vereador solicita exoneração de assessora de imprensa por não acreditar em deus

Por Lucas Sena

Um fato inaceitável ocorreu no município de Nova Prata, no Rio Grande do Sul. O Vereador Alex Dotti (PMDB), solicitou ao plenário da Câmara de Vereadores, no último dia 4 de Fevereiro, a exoneração da Assessora de Imprensa da Casa, Renata Helena Ghiggi. O pedido foi negado pela mesa, mas expressa a intolerância sobre as opiniões e, principalmente, a violação do estado Laico.

Por entender que o estado é Laico, Renata tomou a decisão de retirar o crucifixo do plenário. Mas o que causou a ira do Vereador foi quando a assessora, em uma rede social, afirmou ter questionado um apresentador de TV que dizia que Deus salvou uma pessoa de um acidente: “Eu perguntei: Por que Deus não evitou todo o acidente? Aí pessoas do meu círculo de amizade, católicos e gente de outra religião começaram um debate de super alto nível, pessoas com conhecimento do que estavam falando. Eis que o vereador entrou rachando na discussão, baixou o nível, ofendeu meus amigos, minha irmã que é católica, xingou alguns e mostrou seus preconceitos.”

Segundo Dotti, o posicionamento dele foi para defender o que determina o regimento interno da Casa, no que diz respeito à invocação de Deus no início e no fim das sessões ordinárias (??!!). Sua postura demonstrou toda a intolerância que existe com as opiniões ditas “minoritárias”. O direito à livre expressão religiosa deve ser respeitado. Mas o estado deve ser dissociado de qualquer credo ou religião. A defesa do estado laico deve ser um dever de todos os setores“progressivos”. Os setores que defendem o atrelamento da igreja ao estado são os mesmos que se calam diante do enriquecimento ilícito de algumas igrejas, da exploração da fé, dos crimes de pedofilia cometido por religiosos e que silenciaram ou apoiaram a postura da igreja católica durante o golpe militar de 64.

A intolerância de uma minoria reacionária não é exclusividade de Dotti (PMDB). Em um discurso para produtores rurais, o Deputado Federal do Rio Grande do Sul, Luis Carlos Heinze (PP), declarou: "Quilombolas, índios, gays e lésbicas são tudo que não presta.” Esses setores reacionários que pregam a intolerância e reproduzem os preconceitos, dão a base ideológica para que milhares de negros, gays, mulheres e ativistas sociais sejam assassinados e perseguidos.  

Um mundo tolerante às opiniões só será possível com a igualdade material e o fim da relação de oprimidos e opressores. A burguesia se utiliza dos preconceitos para dividir os oprimidos e explorá-los cada vez mais. Nós do PSTU defendemos Renata Helena Ghiggi de qualquer retaliação ou perseguição, e lutaremos sempre para que de fato o Brasil seja um Estado verdadeiramente laico. 

Um comentário :

  1. Olá pessoa! O fato aconteceu em Antônio Prado! Obrigada pelo apoio!

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião! O PSTU Gaúcho agradece sua participação.