24 de ago de 2015

EDUCADORES FAZEM 95% DE GREVE E SARTORI RESPONDE COM AMEAÇA DE PAGAR APENAS 500,00???



 Declaração do Democracia e Luta - Corrente de Oposição à Direção Central do CPERS Sindicato

A HORA É DE AVANÇAR NA NOSSA MOBILIZAÇÃO!
No último dia 18 de agosto nossa categoria, em uma assembleia histórica, votou realizar uma GREVE UNIFICADA POR TEMPO DETERMINADO. Acreditamos que a unificação das lutas do conjunto dos servidores estaduais é fundamental para construirmos uma resposta à altura da dimensão da tentativa de retirada de direitos protagonizadas por Sartori e Dilma. A greve geral é uma ferramenta muito poderosa contra todos os governos que insistem em manter os altos lucros dos que nos exploram.
Desde o dia 3 de agosto os educadores estaduais ensaiam uma ofensiva pela garantia de seu salário, além da paralisação unificada, fizemos períodos reduzidos em quase 100% das escolas estaduais e reunimos mais de 15 mil no Gigantinho e em seu entorno para dar um BASTA ao verdadeiro assédio protagonizado por Sartori que ameaça desde janeiro não pagar o salário.
Respondemos a Greve Unificada dos Servidores parando 95% das escolas do Estado e mostrando nossa indignação em plenárias, atos e vigílias pelo Estado. O governador responde a isso ameaçando nosso movimento com o corte de ponto e apontado que provavelmente não conseguirá cumprir com suas obrigações, realizando o pagamento de no máximo 500,00 reais relativos ao salário de agosto.
A semana que se inicia não pode ser de normalidade! Não por falta de vontade dos educadores, pelo contrário, nós viemos cumprindo com nossa tarefa de educar mesmo sem a garantia do cumprimento de nossos direitos. Nossa mobilização não pode cessar enquanto as ameaças não cessarem! Nós continuamos firmes de que há disposição da categoria para continuar de forma indeterminada a resistir. Portanto, toda e qualquer iniciativa de mobilização organizada pelas escolas e pelos comandos deve ser incentivada! Não podemos recuar, Sartori não recua. Pelo contrário, avança enviando mais projetos que tentam colocar o preço da crise nas costas dos trabalhadores gaúchos, como o aumento do ICMS, e avança no corte de salário!
Nossa luta não só por salário! Se Sartori não compreendeu nossa Greve de três dias devemos aumentar o tom em relação ao governador! Respeitar as deliberações de nossa assembleia é fundamental já apontamos que se ele não pagar iremos PARAR novamente. Mas não concordamos com a sinalização da direção central que aponta no sentido de um retorno a normalidade na segunda-feira! Não estamos tranquilos, não estamos seguros e só a continuidade de nossas ações pode garantir que não fiquemos refém do governo no dia 31 agosto! Não trata-se de esperar de forma passiva, trata-se de lutar pelo pagamento integral no dia 31 de agosto e a retirada do PL 206 e de todos os outros que visam retirar direitos!
Porto Alegre, 23 de Agosto de 2015

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe sua opinião! O PSTU Gaúcho agradece sua participação.