17 de ago de 2015

Greve Geral dos Servidores Estaduais para derrotar os ajustes de Sartori(PMDB) e Dilma(PT)!




O Governo Sartori(PMDB) vem aplicando, nestes 7 meses e meio de mandato, profundos ataques aos trabalhadores gaúchos. O parcelamento dos salários, os ataques ao IPE com a instituição da previdência complementar e o pagamento de mensalidade dos dependentes, a proposta de congelamento dos salários por três anos, aumento dos impostos, a extinção das fundações de pesquisa em saúde e meio ambiente, o atraso dos repasses para a saúde, a ameaça de privatização, entre outros ataques, são parte de um projeto de ajuste fiscal do governo que busca colocar os efeitos da crise no bolso do trabalhador com a retirada de direitos.

Enquanto ataca os trabalhadores e a juventude, as medidas estruturais que poderiam ser feitas para acabar com a crise das finanças públicas como o fim das desonerações fiscais que significam 13 bilhões de reais a menos de arrecadação para o estado  e a suspensão do pagamento da dívida com a união que já foi paga não são parte das propostas do governo para enfrentar a crise. Sartori atua como carrasco dos trabalhadores enquanto com os banqueiros, grandes empresários e latifundiários concede isenções e todo tipo de benefício.

O Bloqueio das contas do RS por parte do Governo Dilma(PT) expõe também o atrelamento do governo petista com o capital financeiro. Pouco importa os atrasos no salário dos servidores, o atraso nos repasses do SUS para os hospitais ou para a educação. A prioridade do governo federal é pagar religiosamente a dívida externa aos banqueiros para manter o Brasil “confiável” aos interesses do grandes banqueiros e do capital internacional.

Não é por acaso, o centro do ajuste fiscal e do ataque aos trabalhadores vem pelo Governo Dilma que cortou bilhões das áreas sociais, reduziu direitos como no seguro desemprego e agora acena com entusiamo a proposta de “ agenda Brasil “ de Renan Calheiros(PMDB) que significa mais ataques aos trabalhadores.

CUT, CTB e MST Devem romper com o governo e construir a Greve Geral para derrotar os ajustes

Nos dias 15 de Abril e 29 de maio foram feitas grandes mobilizações pelo país que poderiam avançar para a greve geral, porém as direções da CUT, CTB e MST preferiram defender o governo com apoio a medidas como o PPE(Plano de Proteção ao Emprego) que na verdade visa defender os empresários retirando direitos dos trabalhadores, do que avançar para uma grande mobilização nacional no país. Mais do que nunca é necessário uma greve geral para derrotar os ajustes dos governos como é a proposta da CSP Conlutas.

Somos contra as mobilizações dirigidas pela direita organizadas neste dia 16 de agosto mas também repudiamos essas direções governistas que vão para as ruas defender o governo no dia 20 de agosto.

Exigimos da direção da CUT e da CTB que deixem de apoiar  Dilma(PT) e chamem a Greve Geral dos Servidores Estaduais que hoje é uma realidade e única forma para derrotar os pacotes de maldades de Sartori e Dilma.

Construir uma alternativa de luta que impulsione a greve geral no Rio Grande do Sul

Fazemos um chamado ao MLS(Movimento de Luta Socialista), CEDS, Alicerce e as correntes do PSOL( MES/CS/Intersindical) para juntarmos forças e impulsionarmos nas ruas do Rio Grande do Sul um terceiro campo de classe alternativo às políticas do governismo da CUT/CTB e a oposição de direita. As mobilizações do dia 18 de agosto serão decisivas neste sentido.

Devemos buscar uma atuação conjunta, principalmente no CPERS, para construir conjuntamente os processos de mobilização e uma luta consequente para derrotar o ajuste fiscal de Sartori e Dilma mas também unificar as diversas lutas que ocorrem hoje no estado como a dos servidores federais.

Os militantes do PSTU estarão na primeira linha da defesa e construção da Greve Geral dos Servidores Estaduais para derrotar o ajuste de Sartori e Dilma.

Nossas propostas para a crise do RS:

- Chega de Parcelamento de salários! Pagamento Imediato de todo o salário dos servidores estaduais;
- Piso Nacional do magistério – Reajuste Geral de Salários;
- Suspensão Imediata do pagamento da dívida pública do estado e reverter esses valores gastos em verbas para saúde, educação, moradia e segurança;
- Fim das isenções fiscais e combate a sonegação fiscal das grandes empresas;
- Fim do privilégio dos políticos gaúchos e dos juízes, abaixar imediatamente o salário dos políticos e juízes;
- Não à extinção da Fundação Zoobotânica e FEPPS;
- Não a reforma da previdência do Sartori e em defesa do IPE;
- Chega de Dilma(PT), Sartori , Temer e Cunha(PMDB) e Aécio(PSDB).

Direção Estadual do PSTU Rio Grande do Sul


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe sua opinião! O PSTU Gaúcho agradece sua participação.