14 de out de 2010

Câmara de Vereadores homenageia um suspeito de corrupção


A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou uma homenagem no último dia 13, aparentemente não existe nenhum problema nisso, tendo em vista que a Câmara Municipal pouco faz além de prestar homenagens. 

Mas a proposta de modificar o nome do Hospital de Pronto Socorro (HPS), que  foi apresentada pelo Vereador Nelcir Tessaro (PTB) e  aceita por unanimidade,  deixa de ser uma simples homenagem rotineira até que se descobre quem é o individuo em questão. Neste caso é  o ex-secretário municipal da saúde que foi assassinado este ano após inúmeros escândalos de corrupção.O hospital passa a se chamar Eliseu Santos.

Pelo menos 9 milhões de reais desapareceram durante a gestão de Eliseu Santos na Secretaria de Saúde. A Operação Pathos da Polícia Federal investigou o escândalo conhecido como "Caso Sollus". Eliseu havia prestado depoimento para a PF no dia 25 de fevereiro, um dia antes de ser morto a tiros na Capital. Até o então prefeito José Fogaça teve seu sigilo bancário quebrado por decisão da Justiça Federal. Segundo o relatório da Procuradoria Regional da República, assinado por Jorge Luiz Gasparini da Silva, Fogaça e Eliseu “são responsáveis pela fiel aplicação dos recursos públicos, sob pena de, se concorrem com desídia, no mínimo, incidirem” em peculato e emprego irregular de verba ou renda pública.

O assassinato de Eliseu é um mistério até hoje. O Ministério Público aponta, em investigação comandada pela promotora Lúcia Helena de Lima Callegari, que Eliseu foi assassinado por vingança, a mando dos participantes do esquema de propina que foi denunciado na secretaria - os diretores da empresa de segurança Reação e o ex-assessor jurídico da SMS Marco Antônio de Souza Bernardes (PTB). É este individuo suspeito que foi homenageado pelos vereadores da capital, dando seu nome a um dos símbolos de Porto Alegre na área da saúde.

Veja abaixo a nota de repúdio da ASHPS (Associação dos Servidores do Hospital de Pronto Socorro)

A Associação dos Servidores do Hospital de Pronto Socorro – ASHPS – vem a público manifestar-se a respeito da aprovação, no dia 13/10/2010, na Câmara de Vereadores da Capital, de Lei alterando o nome do HOSPITAL DE PRONTO SOCORRO, para Hospital Dr. Eliseu Felipe dos Santos. Temos a plena certeza de que transformar o HPS em Hospital Eliseu Santos, é minimamente um desrespeito a história desta instituição e a própria história de Porto Alegre, afinal de contas o nome HPS – Hospital de Pronto Socorro – está enraizado na nossa sociedade e na nossa cultura. Além disso, inúmeros servidores entregaram sua vida ao HPS e são tão ou mais merecedores dessa homenagem.

Dr. Eliseu, enquanto secretário de saúde, jamais manifestou interesse na recuperação estrutural e até mesmo de recursos humanos do hospital, diminuindo investimentos e, muitas vezes, verbalizando seu desprezo pela instituição e pelo seu corpo funcional. Como herança, deixou aos funcionários um novo laudo de insalubridade, rebaixando o percentual de muitos servidores: médicos, auxiliares, técnicos, operários, administrativos, dentre outros cargos. Por tudo isso, e muito mais do que ainda pode vir através das investigações das causas do assassinato do Dr. Eliseu, a ASHPS, representando os servidores do Hospital de Pronto Socorro, repudia tal iniciativa e solicita ao prefeito municipal José Fortunati, que não sancione tal lei, ao mesmo tempo em que rogamos a Câmara Municipal de Vereadores, a revisão imediata dessa proposição, mantendo o nome do nosso (comunidade porto-alegrense) HOSPITAL DE PRONTO SOCORRO.

Porto Alegre, 14 de Outubro de 2010.
ASHPS

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe sua opinião! O PSTU Gaúcho agradece sua participação.