6 de mai de 2014

Dilma e direção dos Correios ameaçam sobrevivência das famílias dos trabalhadores da ECT

Por Karina Barbosa e Alexandre Nunes
Trabalhadores dos Correios e Militantes do PSTU

Após uma greve em defesa do plano de saúde, ECT, Dilma e TST iniciaram uma série de retaliações contra os grevistas. Foram 42 dias de greve para tentar defender o maior benefício da categoria e de suas famílias. O TST julgou a greve abusiva e determinou 15 dias de desconto no salário dos trabalhadores, mais compensação do restante dos dias hora por hora, fazendo com que a jornada de trabalho nos Correios chegasse a até 11 horas diárias. É importante ressaltar que os advogados da ECT exigiram dela que o desconto do salário fosse integral.

Depois a ECT e os gestores, que são em grande maioria petistas, iniciaram uma forte campanha de assédio moral contra os trabalhadores, exigindo que compensassem não só os dias de trabalho, mas também domingos e feriados (!). Há também perseguição a uma série de ativistas sindicais. Foi uma completa metamorfose que ocorreu com esses gestores, de ex-sindicalistas a parasitas que atacam os trabalhadores.

Além disso a empresa vem passando por um profundo processo de sucateamento, com deputados e senadores aprovando a MP 532 que transforma a ECT em S.A., além do avanço das terceirizações na empresa. Sem contar com a sobrecarga de trabalho que faz milhares de trabalhadores adoecerem com mais frequência; não é a toa que no ultimo período a ECT tem batido lucros recordes à custa da exploração dos trabalhadores. Mas, como se tudo isso não fosse suficiente, a ECT apresentou uma proposta de PLR de R$ 300 para este ano (a média dos anos anteriores era R$ 900).

Agora a ECT e o PT atacam o direito à sobrevivência das famílias. Alguns descontos salariais superam 80%. Muitos trabalhadores receberam menos de R$ 100 este mês. Os trabalhadores ainda ficaram sabendo pela internet que terão o vale alimentação descontados no meio do mês. Acha muito? A empresa já anunciou que mês que vem irá descontar os dias da greve de 2013. O PT na gestão da ECT faz pior do que Fernando Henrique Cardos. É inacreditável o que o governo está fazendo com uma das categorias mais bem vistas pela população, que pega chuva, sol, frio, calor para que as cartas das pessoas cheguem às suas casas.